Como escolher o seu mentor?

Todo mundo tem um mentor.

Pode não ser uma relação tão declarada, mas o fato é que tem sempre aquela gura que a gente admira e que nos move a realizar planos e tarefas com mais clareza, seja no ambiente de trabalho, seja entre as nossas amizades ou mesmo na família.

 

Aprender com a experiência do outro é ganhar tempo e todos nós precisamos de tempo.

O problema tem sido em reconhecer o mentor certo. Como a cada fase da vida estamos em busca de novas ferramentas, o mentor pode variar e fugir completamente de estereótipos.

Esse aí é Richard Branson, mesmo. Fundador do grupo Virgin. Mentor ( informal) para muitos empresários!

É preciso buscar quem tenha realmente as competências que precisamos aprimorar para evitar a grande frustração de escolher errado. Tem mentores com cabelo branco e tem outros que acabam de sair dos bancos da faculdade. As novas gerações têm mais experiência em funções que não existiam há algumas décadas enquanto os mais vividos têm as dores e as delícias de anos de sucessos, fracassos, relacionamentos e negociações.

 

Mantenha em mente quais os seus propósitos e que soluções precisa encontrar.

Uma dica importante é conversar com foco na percepção: você é capaz de ouvir esse interlocutor? Se a linguagem que ele usa faz sentido para você, ca mais fácil evoluir com a parceria de quem admiramos. E não menos importante: que seja alguém que você se sinta à vontade para pedir ajuda. A estrada está longe de ser uma linha reta.

Finalmente, lembre-se de que o ato de ensinar é também uma aprendizagem.

Logo, você, de certa maneira, também será mentor do seu mentor. O que você tem a contribuir nessa troca? Essa consciência nos ajuda a caminhar com mais autoconfiança.