Resposta rápida: mas que resposta?

Se você está no mercado de trabalho, empregado ou não, você está enfrentando desafios. E a primeira etapa para resolvê-lo é reconhecer a sua essência. Há aqueles que demandam resposta rápida.

E com rápido não estou querendo dizer que é necessariamente a primeira ideia que aparece na sua mente e que você verbaliza por reflexo. Para lidar com a adversidade com sucesso é preciso estar com as competências desenvolvidas e atualizadas.

No conjunto de demandas que envolvem um desafio, o repertório de competências precisa emergir com mais força do que a simples emoção. Claro que elas vão existir, mas o que precisamos espalhar é o como colocá-las a favor da melhor resolução agora.

 

Com uma crise em andamento não dá para paralisar e ficar analisando todos os aspectos. Foque no impacto. E nesse caso a experiência, por vivência ou observação, faz com que você acesse mais rapidamente diferentes ângulos, com diferentes históricos.

Logo, a capacidade de se recuperar rapidamente, a chamada resiliência, é mais concreta quando a atitude vem de um aprendizado. De que adianta me reposi- cionar para a ação rapidamente se não sei para onde ir?

Como Dina Gederman fala em um artigo para a Harvard Business Review: “O regime de resiliência é um plano de tness de longo prazo, e não uma dieta radical”. Portanto, a essência do desafio  é plantada muito antes da adversidade. Não espere que a crise chegue para triplicar o esforço.

O que você, líder, tem plantado?